Foto: Mayke Toscano – SECOM-MT

Emanuel Pinheiro baixa a cabeça, admite ser favorável ao BRT e deixa de guerra com o Governador por conta da troca do modal.

O prefeito havia impetrado um mandado de segurança contra a decisão do Governador Mauro Mendes, por trocar o projeto VLT pelo BRT, porém, perdeu todos os recursos. Emanuel disse que as ações na Justiça não eram contra a troca do modal, e sim para que a prefeitura e a Câmara de Vereadores, junto da sociedade organizada fossem ouvidas, mas não comentou nada sobre não ter ido na reunião onde foi apresentado todo o projeto do BRT.

Em uma entrevista ao site RD NEWS, Emanuel disse que até pode ser o BRT, desde que seja compartilhado com a sociedade e com as instituições. “Eu tenho que ser convencido, eu entendo que o melhor para a cidade é o VLT, mas não quero entrar nisso. O que eu estou brigando é pelo direito de Cuiabá ter o poder de decisão “, disse o prefeito.

Emanuel Pinheiro também exige que a definição seja feita em conjunto entre o Governo do Estado e as Prefeituras de Cuiabá e Várzea Grande.

Na última semana, o Prefeito da cidade industrial Kalil Baracat disse que está de acordo com a troca do modal, e pediu ao Governador que as obras comecem por Várzea Grande. Kalil citou os prejuízos causados por conta das obras do VLT e os acidentes que tem ceifado vidas em meio a Av. da FEB.

Foto: SECOM-MT

BRT

 O BRT terá mais vantagens na mobilidade em Cuiabá e Várzea Grande, poderá entrar dentro dos bairros para atender a população que realmente precisa de um transporte público, terá a passagem custando em torno de $ 3,04 e o projeto ficará bem mais barato que o VLT.