Foto: Assessoria do Deputado

O deputado estadual Faissal Calil (PV) promoveu em seu gabinete na Assembleia Legislativa (ALMT), na manhã desta sexta feira (29), com a Defesa Civil Estadual para debater ações em relação ao baixo índice de chuvas registradas em Mato Grosso nos últimos meses.

A preocupação, tanto do parlamentar, como da instituição, é que o baixo volume de chuvas possa resultar em um ambiente mais propício para incêndios florestais, como os registrados no estado no ano de 2020. Naquela ocasião, uma das regiões mais atingidas foi o Pantanal Matogrossense, que teve boa parte de sua área destruída pelo fogo.

Estavam presentes na reunião, além do deputado, o Tenente Coronel Marcelo Augusto Reveles Carvalho, superintendente da Defesa Civil de Mato Grosso, além do Tenente Costa, coordenador de Preparação e Prevenção da entidade. Entre as estratégias de prevenção debatidas estão uma série de ações como aumentar a estrutura de combate a incêndios florestais no estado.

“A intenção é fortalecer todo sistema de Defesa Civil dos municípios para que todos possam fazer um trabalho de prevenção e preparação para possíveis incêndios, que devem ser maiores, se o regime de chuvas não mudar. Poderemos assim, formar também brigadas de incêndios e adquirir materiais para combate ao fogo previamente”, afirmou o superintendente da Defesa Civil.

Faissal apresentou, no final de 2020, uma proposta de criação de um comitê de prevenção e combate a incêndios florestais em Mato Grosso. Estratégias conjuntas com instituições como o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil fazem parte dessa estratégia para diminuir e minimizar os impactos causados pelo fogo nos biomas do estado, em uma ação conjunta com os municípios.

“Uma outra preocupação é no sentido de alertar e prevenir os municípios em relação a falta de água para a população nestes períodos de estiagem. Através de projetos, elaborados pelos municípios, conseguimos aportes financeiros junto ao Governo Federal para a ampliação e melhoria da captação de água nestes locais, o que ajuda e muito também, por consequência, no combate aos incêndios florestais”, explicou Reveles.